quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Diversidade no Yoga


Foto por Marcella Karmann
Postado originalmente no blog YogaPelaPaz

Enquanto a prática do Yoga se torna cada vez mais popular pelo Brasil, os métodos que aparecem por aqui continuam se diversificando.
A cultura tibetana tem muito a oferecer para os iogues curiosos, que se alimentam da diversidade que a prática pode tomar. A prática dos Cinco Ritos Tibetanos pode complementar a prática regular de Hatha Yoga e oferecer novas ferramentas para a saúde do corpo e da mente.
Saiba mais nessa entrevista com a professora Parmatma Cris:

1. O que são e qual a origem da prática dos cinco ritos tibetanos? Os cinco ritos tibetanos são cinco séries de kriyas-vinyasa realizadas a partir de cinco posturas de Yoga (asanas). Essas sequências são executadas em movimentos simples, equilibrando nossos sete centros de energia vital (chakras) e todo o sistema hormonal a partir do estímulo às glândulas pineal, pituitária, tireóide/paratireóide, timo, pâncreas, adrenais e gônadas.
Essa expansão do fluxo da energia vital se dá a partir da respiração, força geradora de cada movimento em cada exercício (kriya).
Essas sequências têm origem em um mosteiro no antigo Tibet. Embora não fossem guardadas como secretas, o difícil acesso geográfico as tornava inacessíveis à maioria das pessoas. Muitos passaram a acreditar que os conhecimentos capazes de retroceder o envelhecimento natural do corpo fossem uma lenda.
Tendo ouvido muito sobre esse lugar nos anos em que vivera na Índia, um coronel inglês, já aposentado, resolveu encontrar o monastério e viver com esses monges para aprender a antiga prática milenar de rejuvenescimento e expansão de vitalidade e saúde.
Após alguns anos no monastério, e tendo ele próprio se tornado um exemplo vivo do poder da prática dos ritos, o coronel inglês retornou ao ocidente, onde começou a compartilhar a prática hoje conhecida como os cinco ritos tibetanos.

2. O que são kryas? Quais são os kryas utilizados nessa prática? Um uso comum da palavra kriya denota ação, esforço ou movimento completo com um objetivo específico.
Na prática dos cinco ritos tibetanos, os kriyas são os cinco exercícios que executamos, os quais nos levam a um caminho de purificação e elevação através do não esforço, resultante da combinação entre respiração, movimento e atenção plena.
Os kriyas dos ritos tibetanos são sempre executadas sob o princípio de vinyasa, onde a respiração conduz cada movimento desde a postura da montanha, até os asanas de camelo, mesa, cachorro espreguiçando e cobra, em movimentos repetidos de 3 a 21 vezes, com integração em relaxamento profundo para absorção dos benefícios da prática.

3. Quais os benefícios dessa prática? A prática dos cinco ritos tibetanos restabelece expande a capacidade de manifestação de energia vital nos sete centros de energia, transmutando as energias densas que geram cansaço e estresse, gerando fortalecimento interior, muscular, alongamento, equilíbrio e leveza.
Uma vez que o corpo esteja com maior vitalidade, o apetite se torna mais leve, o sono mais profundo e aumento da conexão com a própria intuição. Processos criativos naturais também se abrem, já que há menos desgaste psicofísico com a busca de atingir o equilíbrio e encontrar a própria vitalidade.

4. Como ela complementa uma prática regular de Hatha Yoga?A sequência dos cinco ritos é uma prática curta, que pode ser executada tranquilamente em 20 ou 30 minutos, sejam quais forem as adaptações para quem sente dificuldade em um ou outro kriya durante o desenvolvimento da prática.
A prática contínua purifica todos os canais de energia vital, expandindo o seu fluxo pelo sistema endócrino de maneira direta e equilibrada, o corpo fica mais forte e mais leve e há mais espaço interno para poder absorver melhor os benefícios da prática do Hatha Yoga.

Parmatma Cris conduzirá no feriado 7 de setembro o retiro  -Yoga e Maha Bhuta - Os 5 elemento na prática da Yoga.
Fazenda Lila, São Bento do Sapucaí
Saiba mais aqui

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...